Campo Grande (MS), Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2022

TURISMO

"Airton do Jacaré" teme ter de abandonar casa de 30 anos

O Dnit pede a reintegração de posse da área onde Airton mora, que é tradicional no Pantanal de Miranda

25/07/2022

15:00

CAMPOGRANDENEWS

LÚCIA MOREL

Airton, ao lado dos jacarés que aprendeu a cuidar ©DIVULGAÇÃO

Sem saber o que fazer, Airton Macena de Barros, de 76 anos e há mais de 30 morando em área às margens da rodovia BR-262, em Miranda, teme ter que sair do local onde, além de ter construído sua casa, também ergueu sua vida e, junto com sua irmã cuidava de jacarés.

Ontem, o site Campo Grande News revelou que ação judicial proposta pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) pede a reintegração de posse da área onde Airton mora. Bem ao lado fica a casa e a venda onde “Maria dos Jacarés”, de nome Eurides Fátima Macena de Barros, que morreu em julho de 2021.

“Tem mais de 30 anos que ele vive ali. Moram ele e a esposa. Se ele sair de lá, vai pra onde?”, questiona o genro, Gelson Faria, de 55 anos. Bastante perdido, Gelson conta que o sogro não sabe o que fazer e está com muito medo de ter que sair da área, que é ponto turístico tradicional no Pantanal de Miranda e muito conhecido por inúmeros turistas.

“A área da finada Maria fica do lado de lá da ponte e ele, do lado de cá. Mas sempre cuidaram juntos dos jacarés. A gente quer evitar a demolição, até porque ele acabou de construir uma casa boa ali. Gastou R$ 64 mil e tem até banheiro no quarto”,  relatou, questionando mais uma vez que “se demolir, ele vai pra onde?”.

Ele afirma que vão procurar um advogado, mas meio inseguro, Gelson disse que até conhece advogados em Miranda, mas que talvez fosse melhor acionar algum de Campo Grande, já que o processo do Dnit corre na  2ª Vara Federal da Capital. Quem quiser ou puder prestar algum auxílio, pode encontrar a família no número (67) 99917-2210.

Nas redes sociais, os leitores mostraram indignação com a decisão da Justiça. “Absurdo! Só quero saber o que o Dnit vai fazer ali”, comentou uma leitora. Outra disse questionou: “será que vai vir já solução a tempo, para ele não ter que sair? Quanto ao DNIT, vai trabalhar pra diminuir os números de acidentes com vítimas!”.

Caso - O processo foi impetrado pelo Dnit em fevereiro do ano passado, com decisão favorável ao departamento em fevereiro deste ano. “Maria dos Jacarés” morreu no final de julho de 2021, após queda que provocou hemorragia interna. Não se sabe se ela tinha conhecimento do processo, entretanto, este corre em nome do irmão, Airton.

A juíza entendeu haver razão no pedido e cita ainda que há “perigo da demora” na não reintegração, já que “a manutenção das edificações que, aliás, são de porte razoável e acostadas literalmente às margens da rodovia, conforme se verifica às fls. 13/15-pdf, pode ocasionar graves danos tanto ao patrimônio público, quanto à livre circulação e à segurança da rodovia”. 


Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Últimas Notícias

Veja Mais

Envie Sua Notícia

Envie pelo site

Envie pelo Whatsapp

Rede News MS © 2021 Todos os direitos reservados.

PROIBIDA A REPRODUÇÃO, transmissão e redistribuição sem autorização expressa.

Site desenvolvido por: