Campo Grande (MS), Domingo, 16 de Junho de 2024

FAMOSOS

Gretchen faz 65, avalia trajetória e derruba mito de furacão sexual: ‘Que mulher tem tempo de transar o dia inteiro?’

26/05/2024

10:00

EXTRA

CAROL MARQUES

©DIVULGAÇÃO

Semelhante ao rodopio que Lynda Carter dava para se transformar na Mulher Maravilha na década de 1970, o rebolado transformou, na mesma época, Maria Odete Brito de Miranda de Souza em Gretchen. Uma jovem linda, que usava micro short e balançava seu “Freak Le Boom Boom” para as câmeras, aos sábados à tarde, em programas de televisão. Algo impensável hoje em dia.

Na vida pública de Gretchen, o impensável é quase uma constante. Ela viveu o auge de uma carreira nos anos da discoteca, trabalhou como atriz na pornochanchada, tentou carreira política, fez coisas das quais não se orgulha tanto para colocar comida na mesa dos seis filhos, casou 18 vezes, gravou música gospel, fez diversos reality shows, centenas de procedimentos estéticos, virou musa da internet, meme mundial e não para. Na próxima quarta-feira, a cantora completa 65 anos rebolando, ainda que lhe doam os joelhos por conta de uma artrose. A Rainha do Bumbum pretende se manter no trono por muito mais tempo. No entanto, acredita que já realizou tudo o que quis.

“Quando olho para trás, eu vejo uma mulher extremamente realizada. Tudo o que programei deu certo. Tive seis filhos, como eu disse que queria quando era pequena, todos são bem-sucedidos, consegui criar praticamente todos na Europa e nos EUA, já sou avó... Não mudaria nada. Então, não tem mais nada que tenha que realizar. Agora é curtir e aproveitar”, avalia.

Parte desse aproveitar será ao lado do marido Esdras de Souza, de 51 anos. No que depender de Gretchen, desta vez, o casamento é para sempre. “Tenho hoje um marido maravilhoso, do jeitinho que pedi a Deus”, diz ela, que uniu a fé à Lei da Atração para conseguir o companheiro dos seus sonhos: “Quando conversava com Deus, eu detalhava tudo o que queria. Um homem bom, honesto, que entendesse meu trabalho, que fosse fiel, porque nunca tive um marido que não me traísse, que me respeitasse, se desse bem com meus filhos e minha família, e Ele mandou certinho o homem que pedi. Eu me casei um monte de vezes e me casaria mais um milhão até encontrar o Esdras”.

De volta à Europa, Gretchen acaba de se mudar para Portugal, onde o marido, saxofonista, faz mestrado em Musicoterapia. O maior motivo de sua ida, no entanto, é criar a filha Valentina longe do Brasil. “Eu não tenho coragem de criar uma menina de 14 anos no Brasil. É violência, assédio, uma série de coisas que me deixam preocupada”, reflete.

Gretchen sabe como ninguém o quanto é difícil ser mulher. Seja em que idade for. Filha de um militar e de uma contadora, a cantora herdou deles uma certa autoridade para evitar casos de assédio e machismo: “Meu pai era muito rígido e minha mãe, sabiamente, criou a gente para enfrentar o mundo, sem abaixar a cabeça. Mas acho que vem de mim mesma essa personalidade forte, de enfrentar, de dizer não”.

Foi dessa forma que criou Thammy, Décio, Sérgio, Gabriel, Giullia e Valentina. Gretchen garante que jamais recebeu um centavo de pensão dos pais dos filhos. “Nunca quis pensão de ex-marido nenhum. Até podia. O pai do Thammy é riquíssimo, por exemplo. Mas eu nunca pedi um centavo para mim. Teve vezes em que deixei de comer para dar de comer aos meus filhos, mas nunca pedi nada pra ex algum. Primeiro, eu teria muita vergonha de fazer isso. Segundo que, ao pedir pensão, eu estaria dando a chance de algum deles se meter na minha vida. E isso é inegociável”, justifica.

Como também é sua liberdade. “Sem liberdade, eu não teria feito nada, não teria chegado aonde cheguei. Não teria influenciado tantas mulheres. Liberdade é uma das coisas mais importantes da vida”, afirma ela, que se descobriu influenciadora recentemente: “Foi quando passei a receber mensagens de mulheres que me dizem o quanto eu mudei a vida delas, que passaram a trabalhar, enfrentando os homens, que melhoraram a autoestima porque me veem usando um biquíni ou tendo franja, que se entregaram ao amor, que mudaram a visão sobre os filhos homossexuais. Isso me deixa bastante feliz, é a parte boa da internet”, enumera Gretchen, que também aprendeu a monetizar as redes sociais: “Faço minhas publis, mas estou querendo saber como essa gente anda lucrando milhões por aí. Ainda não aprendi”.

Gretchen também conhece a parte ruim da internet. Invariavelmente, recebe uma série de críticas. A maioria delas sobre sua aparência. A cantora nunca escondeu todas as cirurgias e procedimentos estéticos que fez e faz. Muito pelo contrário. Gretchen se orgulha de todos, não vai parar de fazê-los e está amando o que vê no espelho: “Eu me amo. Amo o que vejo. E se vejo algo que não gosto, vou lá e mudo. Dizem que isso é baixa autoestima. Eu rebato porque é justamente por me amar muito que quero estar bem. Você acha que é fácil estar na academia às 9h pegando peso? Não é. Mas quando vejo resultado na minha saúde, principalmente, eu penso: amanhã vou de novo. Você pode se amar do jeito que é, pode ser magro, gordo, feio, bonito, baixo, alto, louro, preto. O que não pode é se meter na vida do outro. E isso eu não faço”, analisa.

Nem sempre é fácil levar de boa. Há algumas semanas, Gretchen perdeu a linha quando criticaram seu marido por fazer um preenchimento peniano: “O que não entendem é que quando falamos de um assunto assim, estamos alertando outros homens e mulheres sobre algo que pode afetá-los, prejudicar um casamento e que tem solução. Se alguém quer melhorar o que tem, qual o problema? Ninguém tem nada a ver com o tamanho ou formato do pinto do meu marido”, dispara.

Quase nos seus 65, Gretchen garante que hoje, depois da menopausa, o sexo melhorou. “Quando percebi que estava tendo calores, mudanças de humor, logo fui atrás da reposição hormonal e não me arrependo. Tudo está melhor e minha libido lá em cima”, diz.

Vista por muitos como um furacão sexual, Gretchen trata de desconstruir essa imagem. “Existe um imaginário. Que mulher tem tempo de transar o dia inteiro? Eu amo colocar meu pijaminha para assistir a ‘Renascer’ com meu marido, no sofá, dormir 22h30 e às 7h já estar de pé”, conta ela, ao se “reaproximar” de Maria Odete: “Existe a Maria Odete, dona de casa, que faz comida, limpa casa, lava roupa, cuida dos netos, e a Gretchen, festeira, com gente em volta, a artista. As duas se fundem em mim. E sou muito orgulhosa delas”.


Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Últimas Notícias

Veja Mais

Envie Sua Notícia

Envie pelo site

Envie pelo Whatsapp

Rede News MS © 2021 Todos os direitos reservados.

PROIBIDA A REPRODUÇÃO, transmissão e redistribuição sem autorização expressa.

Site desenvolvido por: